Seguidores

quarta-feira, 20 de abril de 2016

vinde do quatro de mil novecentos e sessenta e quatro




Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

2 comentários:

Crocheteando...momentos! disse...

Que bem mana...felizmente que temos sempre mais!
Parabéns e bj

Crocheteando...momentos! disse...

Que bem mana...felizmente que temos sempre mais!
Parabéns e bj